(1)

Um grande momento em nossas vidas é quando descobrimos que podemos fazer parte de algo mais intenso, onde a nossa vida servirá a um propósito maior, cujo aquilo que somos ou fazemos realmente fará a diferença em nossa geração. Um escritor certa vez disse que a pior morte é a morte do nosso propósito, outro escritor concordou dizendo que "aquele que não tem pelo que morrer, não tem uma razão para viver". Quando perdemos o propósito, os meios se tornam os fins e de repente nos pegamos gastando a nossa vida com aquilo que deveria ser apenas a ferramenta para cumpri-lo. As pessoas trabalham além do que deveriam - com o que não deveriam - negligenciam o que realmente é importante e se afastam daqueles que poderiam contribuir com o seu propósito. Uma das grandes causas do isolamento é a falta de necessidade do próximo, e a falta de necessidade do próximo revela que estou fazendo algo tão pequeno e tão mal feito que posso continuar fazendo só.
O que você acha que tem nos impedido de viver o propósito de Deus para nós?

(2)

Jesus se relacionava basicamente com três grupos de pessoas: os fariseus, as multidões e os discípulos. OS FARISEUS: O grande problema do farisaísmo é o relacionamento com Deus baseado no merecimento vindo das obras, anulando o sacrifício de Jesus. Cristo veio porque o homem não tem como pagar pelos seus pecados e ser purificado, pois não há sacrifícios que tenham este poder, este engano tem se repetido em muitas religiões que buscam o aperfeiçoamento através do sofrimento, da reencarnação, etc. Hebreus 7:19 diz: "(pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus." Hebreus 10:12-14 diz: "Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados."
Nosso relacionamento com Deus é baseado no sacrifício de Jesus, somos purificados pelo sangue Dele e completamente aceitos na Presença do Senhor. As obras demonstram nossa fé, mas não nos justifica. Que tipo de atitudes você acha que pode ter nos feito parecer com os fariseus?

(3)

AS MULTIDÕES: Mateus 7:28 diz: "Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina;" As multidões estavam presentes em muitos momentos da vida de Jesus, comeram com Ele e receberam seu ensinamento acerca da Palavra. As multidões sempre foram importantes para Jesus, Ele multiplicava pão à eles, ensinava, estava junto; A multidão estava maravilhada com a doutrina de Jesus, no meio deles muitos discípulos se levantaram, mas nem todos se tornarem discípulos. Quem sabe um dia você foi a multidão e hoje é um discípulo, ou quem sabe você ainda é a multidão, mas isso não diminui o amor de Jesus por você! O que você acha que podemos fazer para irmos além do nível de multidão e chegar ao nível de discípulos?

(4)

OS DISCÍPULOS: A multidão ouvia as palavras de Jesus, mas os discípulos recebiam a revelação.
Mateus 13:10-11 diz: "Então, se aproximaram os discípulos e lhe perguntaram: Por que lhes falas por parábolas? Ao que respondeu: Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido." As multidões conheceram o poder de Jesus em suas necessidades, já os discípulos puderam conhecer o poder de Jesus em sua Pessoa. Marcos 9:2-3 diz: "Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, Tiago e João e levou-os sós, à parte, a um alto monte. Foi transfigurado diante deles; as suas vestes tornaram-se resplandecentes e sobremodo brancas, como nenhum lavandeiro na terra as poderia alvejar." Com as multidões Jesus compartilha suas dádivas, mas com os discípulos Ele pode compartilhar seu coração. Mateus 26:38 diz: "Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo." Você se torna discípulo dando muito fruto. Jo 15:8 diz: "Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos." Uma manga vem da mangueira, se temos o Espírito Santo, refletimos seu fruto (amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança), o fruto do arrependimento é visível. Você é discípulo se permanece na palavra de Jesus. Jo 8:31 diz: "Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;" Você é reconhecido como discípulo se você tiver amor. Jo 13:35 diz: "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros." O que você acha que pode ter nos impedido de viver uma vida como discípulo de Jesus?

(Conclusão)

Quanto conectado você está com seus irmãos? Dentro desse prédio, que nos reunimos como Igreja, existem pessoas com um desejo genuíno de servir a Jesus. Então, precisamos ter conexões certas e servir cada um de nossos irmãos com nossos dons. Quando decidimos aumentar nossa conexão com Jesus, passamos a entender que Ele nos deixou o exemplo. Assim, devemos servir uns aos outros, nunca falar mal ou amaldiçoar, nos conectarmos com o corpo de Cristo, com os mais fracos. A coisa mais poderosa que podemos fazer com essa palavra é a decisão, ou seja, se desconectar de algumas coisas e estabelecer conexões corretas.

(Palavra da Oferta)

DISCÍPULOS SÃO AQUELES QUE FAZEM O QUE O SEU MESTRE LHES ENSINOU.
PALAVRA DA OFERTA - PASSANDO A VISÃO
Um dos valores essenciais do Ministério Casa do Pai é uma generosidade extravagante. É assim que nós somos! Parte da nossa visão é alcançar a todos com o poder do evangelho. Para isso, estamos investindo centenas de milhares de reais ao redor do mundo para alcançar a todos com o poder do evangelho. Alguns destes lugares são: África (Moçambique) e Índia, através do Pastor Rafael e da Sarah Zimmermann a igreja em Moçambique vem crescendo; além, de um orfanato, no qual muitas crianças são beneficiadas. Ofertando ao Senhor na célula, você deixa o Ministério Casa do Pai livre para manter a igreja na África e ajudar ainda mais crianças.